terça-feira, 27 de setembro de 2011

Sebastian Jantos

Uma das coisas mais legais que aconteceram na minha vida ultimamente foi ter conhecido e passado um tempo em Montevideo com Sebastian Jantos - todos os méritos e agradecimentos ao amigo Richard Serraria.
Seba é um desses artistas únicos, de extrema sensibilidade, que faz de qualquer coisa música. Passamos momentos incríveis em sua casa, conhecendo outros artistas locais, mas sua relação com o dia e a noite e a tradução que faz das situaçoes cotidianas em suas composições foram o que mais me marcaram profundamente.
Sem falar que é uma pessoa sensacional.
Já sou um fã. Dale, Seba!

Seguem duas músicas, uma delas - En la Justa Medida - acompanhei de perto a sua criação, quando, em conjunto com Serraria e participação de Lucas Kinoshita, Seba entrou na minha alma e plantou uma semente que faz crescer sentimentos todas as vezes que escuto tal canção.

Mais abaixo, o serviço de um showzaço em Montevideo dia 8. Quem estiver por lá, não perca!




Jantos presenta canciones de su nuevo disco "Hoy" y recorre lo fundamental de su primer trabajo discográfico “Fui Yo” con un formato electroacústico junto a Diego Janssen (guitarrón, cavaquinho y guitarra electrica), José Pepe Martínez (percusión), Alejandra Genta (saxo barítiono y clarinete bajo), Emiliano Pereira (saxo soprano y clarinete) y Cecilia Rodríguez (saxo tenor y flauta).

Luego de haber formado parte de varios proyectos y grupos relacionados con la música, destacándose su presencia en la formación estable de la banda “Cursi” entre los años 2005 y 2008, a fines de 2008 su primer CD solista con composiciones propias, editado en Uruguay por el sello Perro Andaluz.

Con la producción de Diego Drexler (Cursi) y con la participación músicos de la talla de Jorge Drexler quien colocó su voz en “Siento Por Ciento” el corte de difusión de dicho trabajo, Fabián Krut, Federico Graña y el músico y productor argentino Román Varas, éste trabajo intitulado “Fui Yo” ha sido presentado en múltiples escenarios de Montevideo, interior del país, Argentina y Brasil con muy buena aceptación de la prensa y público en general.

A principios de éste año produjo junto a Diego Janssen su nuevo trabajo autoral intitulado “Hoy” que desde una postura regionalista dialoga con la canción pop electroacústica y la música de raíz afroamericana.

Dicho trabajo ha contado con la participación de destacados músicos y compositores como Nicolás Arnicho, Andrés Bedó, Daniel López, José Reinoso, Lucas Kinoshita, Richard Serraria, Mário Falcao, Ian Ramil, Nicolás Birriel, Diego Janssen, Pepe Martínez, Mariángel Prince, Nicolás Román, Alfonso Santini, Emiliano Pereyra, Cecilia Rodríguez, Alejandra Genta, Laura Chinelli, Eloísa Méndez y Damián Gularte entre otros.

Artistas invitados: Eloísa Méndez, Nicolás Birriel y Oscarito Mederos

http://www.myspace.com/sebastianjantos

entrada 150$

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O seu olhar melhora o meu



O seu olhar lá fora
O seu olhar no céu
O seu olhar demora
O seu olhar no meu

O seu olhar seu olhar melhora
Melhora o meu

Onde a brasa mora
E devora o breu
Como a chuva molha
O que se escondeu

O seu olhar seu olhar melhora
Melhora o meu

O seu olhar agora
O seu olhar nasceu
O seu olhar me olha
O seu olhar é seu

O seu olhar seu olhar melhora
Melhora o meu

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Uma cidade de futuro?

Que cidade é essa que queremos?
Que se movimenta somente pelos efeitos de grandes datas?
Pra quem seria essa cidade?
Será que é isso mesmo?
Queremos um fórum mundial, uma copa mundial, eventos globais, mas para quê?
Novamente, para quem?
E o menino aquele que se indigna com tudo isso e acha que tem que roubar tudo do Iberê Camargo?
Vizinho do museu de bacana, ele não pode entrar lá - aliás, não pode entrar em nenhum lugar, pois da sua casa só pode sair acompanhado.
Por detrás das grades de seu quarto, que não servem para sua proteção, mas para seu enclausuramento, vê crescer uma torre de cristal ao lado de pista de corrida de cavalos, dentro de um templo de uma igreja que domina o mundo e que o coloca onde está.
Que cidade é essa para esse menino? E para todos os outros meninos que moram com ele?
Qual a cidade que eles querem para o futuro?

---------------

Hoje iniciei uma oficina em um ponto de cultura no bairro Cristal.
Dentre os alunos, 3 internos da FASE.
Vamos fazer um filme.
E eles dirão a que servirá tudo isso.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Losing my favorite band

R.E.M. é sem dúvida nenhuma uma dessas bandas que vai ficar pra sempre.
De início numa era pós-rock and roll, no começo dos anos 1980, construiu seu próprio espaço numa época de homogeinização em que o metal e o grunge dominavam o cenário, agora, pop.
Michael Stipe, o vocalista e líder da banda, é muito feliz na maioria de suas intervenções e encabeça um sem número de criações de músicas profundas sem dificultar na linguagem.
Dificilmente exista alguém que não goste de alguma das músicas do R.E.M. - eu gosto de praticamente tudo.
O show aqui em Porto Alegre, em 2008, foi simplesmente maravilhoso.
Pois a melhor banda da atualidade resolveu parar.
Uma pena.
Aqui no Alma, segue a mais clássica deles com tradução no vídeo e a letra ali embaixo.



Losing My Religion

Oh, life is bigger
It's bigger than you
And you are not me
The lengths that I will go to
The distance in your eyes
Oh, no I've said too much
I set it up

That's me in the corner
That's me in the spot light
Losing my religion
Trying to keep up with you
And I don't know if I can do it
Oh no, I've said too much
I haven't said enough

I thought that I heard you laughing
I thought that I heard you sing
I think I thought I saw you try

Every whisper
Of every waking hour
I'm choosing my confessions
Trying to keep an eye on you
Like a hurt, lost and blinded fool (Fool)
Oh, no I've said too much
I set it up

Consider this (2x)
The hint of the century
Consider this
The slip that brought me
To my knees failed
What if all these fantasies
Come flailing around
Now I've said too much

I thought that I heard you laughing
I thought that I heard you sing
I think I thought I saw you try

But that was just a dream
That was just a dream

That's me in the corner
That's me in the spot light
Losing my religion
Trying to keep up with you
And I don't know if I can do it
Oh, no I've said too much
I haven't said enough

I thought that I heard you laughing
I thought that I heard you sing
I think I thought I saw you try

But that was just a dream
Try, cry, why, try
That was just a dream
Just a dream, just a dream, dream

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Pra celebrar a chegada da Primavera...

...nada melhor do que a perfeição de um dia igual à noite. A perfeição de um Equinócio, de um Yin-Yang real, de energia natural.
Vamos celebrar a Perfeição!

Reticências

...

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Depois das revoluções, vi esbanjarem brasões pra caudilhos coronéis



Sabe moço
Leopoldo Rassier

Sabe, moço
Que no meio do alvoroço
Tive um lenço no pescoço
Que foi bandeira pra mim
Que andei mil peleias
Em lutas brutas e feias
Desde o começo até o fim

Sabe, moço
Depois das revoluções
Vi esbanjarem brasões
Pra caudilhos coronéis
Vi cintilarem anéis
Assinatura em papéis
Honrarias para heróis

É duro, moço
Olhar agora pra história
E ver páginas de glórias
E retratos de imortais
Sabe, moço
Fui guerreiro como tantos
Que andaram nos quatro cantos
Sempre seguindo um clarim

E o que restou?
Ah, sim
No peito em vez de medalhas
Cicatrizes de batalhas
Foi o que sobrou pra mim
Ah, sim
No peito em vez de medalhas
Cicatrizes de batalhas
Foi o que sobrou pra mim

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Por um tempo deixei de escrever...

Por um tempo deixei de escrever.
Por um tempo larguei as palavras.
Por um tempo mergulhei nas cruzadas.
Do coração, retornam vocábulos.
De um tempo que eu escrevia.
De quando eu mergulhava nas palavras.
E largava mão das cruzadas.

Talagaço pra cair na real

4 a 0 na cola, pra baixar a bola e seguir trabalhando, porque até pouco tempo era o pior time do Brasileirão.
Se liga!

sábado, 17 de setembro de 2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Gremista, comemore! Parabéns!!!

O momento pode não ser bom, pode até estar um pouco longo demais, dolorido, de um jeito que parece não haver mais jeito, mas nunca vai apagar a nossa História.
O Grêmio não nasceu em 1993, não nasceu em 2001. Não pode ser definido por um curto espaço de tempo, não pode ser abandonado por isso.
A paixão da torcida Tricolor atravessa todas as suas décadas de existência, faz o garoto gritar e idolatrar Lara sem sequer ter visto as suas feições, faz o velho que viu Jecy idolatrar novos ídolos, "nossos garotos".
Que estes 108 anos que se completam hoje sirvam para o início de uma reflexão profunda de toda a torcida e de sua paixão por este clube, que desperte o espírito de luta em todos para que juntos não deixemos a aparente desarticulação e os desmandos políticos nos levarem à falência enquanto agremiação.
Dá-le Grêmio!
Parabéns a todos!!!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Tá, admito...

...se é pra falar de futebol neste blog, vou ter que admitir, sim, que reduziram drásticamente as chances de rebaixamento do Grêmio, que o Roth arrumou o time e que Escudero tem futuro no Grêmio se for vencida a barreira do péssimo contrato feito pela direção.
Agora, alguém ainda engole Odono?
E se ele for campeão brasileiro de maneira histórica?

Eu nunca mais!
Dá-le!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A "fera" é uma negra, a "bela", uma branca

Deslize?
Tá certo que Serena é fera no tênis mesmo, mas o conteúdo subliminar dessa manchete expressa quais os valores dominantes na empresa. Na minha singela opinião, é o fino do racismo.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Tiraram a sujeira debaixo do tapete e colocaram sobre o sofá

VERGONHA TOTAL!

- Votação mantém ex-presidente Guerreiro no conselho do Grêmio, clique aqui para ler no Correio do Povo

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Pra tirar a sujeira debaixo do tapete no Grêmio: FORA GUERREIRO!

Quem quer e puder lutar pelo clube, hoje, a partir das 18h, tem mobilização no Estádio Olímpico pra acompanhar a votação no Conselho Deliberativo do Requerimento de Exclusão de José Alberto Guerreiro. Esta é uma iniciativa do Grêmio do Prata, mas que representa a vontade de todo aquele Gremista que não aguenta mais o que ocorre no clube e que precisa começar a mudança prática por algum lugar.

QUE SE CUMPRA O ESTATUTO!
FORA GUERREIRO!!!

DIVULGUE!

- para saber mais sobre o requerimento, ler os documentos desse caso espúrio e muito mais, clique aqui

Derrotas como a de ontem é que machucam

Alguns aqui da aldeia diziam que a partir da próxima rodada, após a "anomalia" do Grenal, as coisas voltariam ao normal. Bom, nada voltou ao normal, mas CONTINUOU normal no futebol gaúcho e brasileiro.
São poucas vezes que se joga - falo só do Grêmio, neste caso - com o Corinthians em São Paulo e não se é garfado. E ontem não foi uma dessas vezes. Um juiz novato, pressionado e vai saber mais o quê, assumiu a condução da partida e agiu pra garantir o resultado positivo ao timinho como foi possível - lembro que ano passado já havia ocorrido a mesma coisa, mas conseguimos suplantar a arbitragem. Dessa vez não deu. O cara deu um pênalti absurdo, controlou o meio-campo quando eles estavam em "desvantagem numérica", dando umas faltinhas só pra parar o jogo, e o tempo de descontos foi pra tripudiar - mais de uma vez os gandulas jogaram bolas pra dentro de campo, houve cera demasiada, expulsões, 6 substituições, nossa! No mínimo 5 ou 6 minutos deveriam ter sido dados. Aliás, a expulsão do Edenílson é engraçada. Se você prestar atenção no lance, ele leva um amarelo pela simulação de contusão, porque viu que seria substituído. Ele levanta e sai correndo, o juiz vai fazer a cena aquela de dar o amarelo, mas... Ops! Ele já tinha amarelo! Teve que ir pra rua. Depois dessas "cagadas", ele, então, decidiu que não deixaria o Tricolor empatar aquele jogo, porque, se não, imagina a pressão no vestiário depois do jogo... Essa sensação de impotência, de que não tem jeito mesmo, isso é que dói.

Agora, sobre o jogo, bom, Roth errou feio. Abdicou da posse de bola no meio, com mais jogadores em campo, e igualou numericamente no setor as equipes por sua conta própria, sacando Marquinhos e Escudero pra colocar os inoperantes Leandro e Brandão na frente. Isso nunca deu certo. Nunca!
Tinha que ter tirado um deles e colocado um atacante, isso sim. Mas ou substituir por outro meio-campista o outro, ou deixá-lo e sacar Adílson para colocar um lateral de ofício que soubesse cruzar bolas na área. Aliás, demitam todos os laterais da base, porque ficar atrás do improviso do Adílson ninguém merece.