segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

As milícias gaudérias

Não se enganem!
O que ocorre em fatos de violência envolvendo torcidas organizadas de Grêmio ou de Inter em nada têm a ver com questões raciais, sociais ou de futebol. São meramente disputas de poder.
Esses grupos que têm guarida sob os mantos de torcedores organizados são as milícias "contratadas" que fazem pressão contra militantes em eleições, que fazem pressão em processos eletivos também em DCE's (o mais notório é o da PUCR$), sindicatos e outras entidades de classe aonde multiplicam-se as máfias institucionalizadas.
Afinal, alguém precisa fazer o jogo sujo, certo?
Vale lembrar que a tal da Máfia Tricolor estendeu em um jogo recente um bandeirão do então candidato a vereador Gaúcho da Copa, concorrendo pelo PMDB (se não me engano ele ficou como suplente). Observei durante este período pré-eleitoral também outras utilizações políticas de torcedores em dias de jogos, envolvendo candidatos do PSDB e do PTB.
Como a memória aqui não é curta, lembremos também que foram pagos anúncios em todos os grandes jornais gaudérios declarando apoio da Geral às chapas de situação, vinculadas a Paulo Odone, deputado estadual pelo PPS e base de sustentação do governo Yoda, nas eleições para o Conselho e para a Presidência do Grêmio.
Agora, neste episódio do tiroteio no qual a grande imprensa - também base de sustentação do governo Yoda - teima em escamotear as reais razões se utilizando de difamações racistas para contra a torcida Tricolor, surge que um dos presos é Bruno Ortiz, filho do Secretário Extraordidnário de Irrigação do governo estadual. Bruno também é conselheiro do clube.
Êita como demorou pra divulgarem este nome... E eles tentaram acobertar (leia isto aqui e imagine se o secretário fosse de um governo do PT).
Não é preciso ser nenhum Sherlock Holmes ou ter informações privilegiadas pra entender o que está por detrás disso tudo. Basta "juntar os pontinhos".
Esperemos, pois, que esta nova direção que assumirá em 2009 limpe o clube dessa politicagem suja que faz do Grêmio um legítimo aríete de interesses obscuros que acabam por influenciar inclusive toda a história política presente do Estado do Rio Grande do Sul.
Um clube de futebol não pode ter essa influência toda...

2 comentários:

claudia cardoso disse...

Meu filho me indicou este vídeo sobre a Geral:
http://uk.youtube.com/watch?v=Thm43OtcHJQ
Abração!

Felipe disse...

O que esta acontecendo no Gremio, eh o principio do descontrole que existe nas barra-bravas da Argentina. A questao ja nao eh mais torcer, vai alem: poder. Eh um grande negocio. Aqui, ainda nao temos o trafico de drogas no centro da torcida, mas ja temos beneficios em troca de apoio, seja de jogadores ou diretores. Essa briga entre Geral e Mafia nao eh de hoje... ja vem faz um tempo. O problema eh que surge um dilema: de um lado a festa que soh acontece porque existe um grupo que se dedica todo seu tempo para a torcida e do outro os problemas que alguns privilegios trazem. Cortam os privilegios, enfraquece a festa. Muitos podem dizer que "a Geral sao 5000"... estao enganados, a Geral EH um grupo de no maximo 100 que vive pra torcida que sao AJUDADOS por 5000 no estadio, fora dele, nao chega a 200 que se mobilizam pra alguma coisa. O que tem que acabar sao com os bandidos, esses fora.