quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Patético, Silas imita Celso Roth, escala 3-5-2 burro e deixa torcida apreensiva

Silas estaria ouvindo quem dentro do Olímpico?
Não é possível que um treinador que estava montando uma cara ofensiva para o Grêmio, trabalhando variações de 4-3-3 para 3-4-3 com apenas um volante, de repente, do nada, invertesse totalmente suas convicções e recheasse o time de cabeças-de-bagre.
Das duas uma: ou é um técnico fraco, suscetível às críticas da imprensa vermelha e, então, não serve; ou está sendo aconselhado por uma banda podre de dentro das estruturas do Tricolor que enxerga futebol de maneira enviesada.
Eu creio mais nesta segunda opção pelos indícios que se apresentam em colunas de opinistas em jornais e internet, dando conta de "escalações ideais" e preferências de conselheiros e diretores por mais volantes na equipe.
Nos jogos em que Silas ousou implementar novo estilo de jogo, o Grêmio venceu, tomou gols, mas venceu.
A corneta pegou, alguma coisa aconteceu, e o nosso treinador passou a escalar o Grêmio num 3-5-2 burro, com 3 zagueiros e dois volantes, sobrando apenas um meia-armador, isolado, recebendo a bola na intermediária do adversário, praticamente na meia-lua, de costas para o gol.
Quem, então, passou a carregar as bolas do campo de defesa para o ataque?!
Os volantes Adílson e Ferdinando.
E, contra o São Luís, no segundo tempo, o mais absurdo acontece: sai Hugo para a entrada de Fábio Santos.
CELSO ROTH REVIVAL TOTAL!!!!
Pelamordedeus, assim não vai dar.
A torcida vaiou porque já viu este filme e sabe muito bem o que vai acontecer.
3-5-2 é para ser jogado com apenas UM volante. É exatamente por isso que se colocam 3 zagueiro atrás!
Na variação do jogo de ontem, terminamos sem meio-campistas, com 3 volantes e dois laterais (alas) esquerdos.
É preciso que se acerte dois esquemas de jogo e que os jogadores sejam treinados taticamente nas suas posições de origem, sem improvisações - chega! - para que se possa tirar o máximo do potencial de cada um.
Felipão fez isso e transformou jogadores ruins como o zagueiro Luciano em um megabecão.
O Grêmio está com um grupo qualificado, fez boas contratações e tem uma base boa, campeã. Não é possível que se escravize um time, uma formatação de jogo, em convicções conservadoras e definitivas: "Um time tem que ter dois ou três volantes, senão não funciona".
Mentira!
Tudo depende das peças que se tem em mãos...
Então, quem estaria pressionando o novato Silas? Quem é o mentor que, já há algum tempo, entra treinador, sai treinador, está dando as diretrizes do futebol Tricolor?
Porque, se continuar assim, o futuro é estarrecedor.

Em tempo, Jonas não tem futebol para sair jogando. É excelente peça pra entrar em um segundo tempo e mudar esquema e, consequentemente, o jogo.
Mário Fernandes é craque. Joga em qualquer posição entre zaga, volância (que tal?) e lateral.
William Magrão é solução? Ahahahah! Não, né, por favor...

Um comentário:

Pioneiros disse...

Guga,

O esquema 352 se joga com dois volantes, sim. A diferença está na características deles.Neste esquema é preciso dois jogadores dinâmicos, móveis e com qualidade nos passes e lançamentos, mas nao necessariamente dois armadores, estilo tcheco e douglas.Vejamos os dois maiores exemplos deste esquema no brasil: o 352 do tite e o 352 do felipão. No primeiro jogavam edu costa e tinga, os dois com ótima qualidade de passe e saída de jogo e o tinga eu nem preciso falar em termos de movimentação, certo? No esquema do felipão era gilberto silva e kleberson, também jogadores com as características citadas acima! só um adendo, o esquema pra qual foi formado este elenco é o 442 e ponto final, o resto é invenção.Ou ainda fazer um esquema igual aodo mano ano passado com o "curintia". um 4-2-1-2-1.com douglas armando, tendo hugo pela esquerda e leandro pela direita, aproveita-se assim a capacidade tática do leandro e coloca-se o hugo na posição que ele mais rende, aberto pela esquerda.

abraços, conrado