segunda-feira, 30 de junho de 2008

Que coisinha mais horrível...

"Qual é o lado lento?" - Celso Roth, na antevéspera do Grenal.
"O do teu cérebro!" - resposta mais do que correta de quem quer que tenha um mínimo de senso futebolístico.

Sério, não dá com esse cara.
Que tipo de pretensões o Tricolor pode ter com este treinador?
Que se credite única e exclusivamente o fracasso no Grenal a Roth.
Um inventor que saca um dos articuladores do time, um rapaz que só vem crescendo jogo a jogo e coloca um jogador quanto muito medíocre, que já foi testado anteriormente e que nunca correspondeu.
William Mangolão é uma invenção midiática. Deve ter o mesmo empresário do risível Paulo Sérgio (ou o garoto Mattione é muuuuuito ruim mesmo e todo mundo está se enganando).
O fato é que Roth acabou com uma das premissas sempre utilizadas por TODOS os treinadores de futebol - como desculpa e como resposta lógica: A SEQÜÊNCIA DE JOGOS.
O time tá cheio de desfalques, vende algum jogador, entra um substituto e perde, o que diz o treinador?
"Fulano sentiu a falta de seqüência"; "Não consigo repetir o mesmo time mais de uma vez"...
Já com o time vencendo, o esquema encaixando, os jogadores parecendo que nem precisam se olhar dentro do campo para trocar passes, o que diz o treinador?
"É a seqüência de jogos. Estamos conseguindo repetir várias vezes a mesma escalação"...
E o que faz o sr. Roth no Grenal????
Tira o Rafael Carioca!
Insanamente quebra um paradigma que o próprio ajudou a consolidar e desmonta a equipe. Deixa apenas um armador no 11, facilitando a vida do adversário, que fechou o cerco em cima do Roger, e quem passou a armar as jogadas do Grêmio?
Pereirão! E tome balão...
Não, não há méritos para o interzinho.
É um time fraquíssimo, nem sombra do que era há 2 anos. As saídas de Fernandão e Iarley desqualificaram de sobremaneira o grupo e, hoje, o Grêmio é, sim, superior em quase tudo - menos na casamata (não que Tite seja um bom treinador, mas Roth é um absurdo de burro).
Daí, retome-se a pergunta: até onde vamos?
Faz horas que o time vem se escapando de tomar gols. Quem assiste aos jogos com um pouco mais de critério percebe buracos inadmissíveis em frente à zaga para quem usa um 3-5-2. Paulo Sérgio é uma avenida sem tamanho e vive levando o "um-dois" nas costas, abrindo espaço para cruzamentos dos adversários para uma área desprotegida, já que um dos zagueiros teve que sair para fazer a cobertura...
E por aí vai.
Mas, mesmo assim, o time vinha evoluindo e algumas peças encaixando - como era o caso da dupla Rafael Carioca e Roger.
Então, por que diabos fazer a mudança??? Não há explicação razoável para isso...
Se o time ficar nesse vence, empata, perde fora, é capaz do treinador permanecer, e o Tricolor ficar ali pela 7ª posição (salvo uma conjunção de fatores excepcionais - a qual torcerei com muito afinco para que aconteça - e venhamos a beliscar o título).
Já para ele ser demitido, é preciso uma seqüência grande de maus resultados, o que seria danoso e irreversível para as pretensões de qualquer posição acima da 10ª colocação.
Então, estamos em uma corda bamba sem tamanho. O lance é torcer para que os jogadores resolvam com sua inteligência e que a torcida "entre em campo", como o fez na metade do segundo tempo e exigiu que o bosta tomasse atitude para mudar a equipe.
Quem entrou?
Rafael Carioca.
Em três participações, o rapaz mostrou toda a incapacidade de Roth em analisar futebol.
Mexeu com toda a movimentação tática do jogo e deixou o meio-campo do interzinho perdido. Resultado?
Bom, não foi o que queríamos, mas foi um alívio...

Seguimos!
JAMAIS NOS MATARÃO!!!

2 comentários:

Jorge Vieira disse...

Os "profes" conseguem bolar uma estratégia para o jogo, vide o Tite e o Mano em vários momentos no passado recente. O Celso ROTO também tem suas "idéias". O problema deles é quando a idéia dá errado, não conseguem voltar atrás, foi o que se viu ontem. Quando o tal Taison saiu o Tite, para nossa sorte, não teve um lampejo e a vitória, que parecia encaminhada, escapou. Tomara que daqui em diante o nosso "profe" só tenha boas estratégias e que o outro "profe" seja uma anta. Agora, ser vice-líder com a ataque de asma que nós temos é uma façanha enorme, o tal Marcel é muito limitado.

claudia cardoso disse...

Meu filho tb está "doente" com o resultado de ontem: quem estragou o time foi o Roth. E furioso com a mídia que não dá destaque ao gol impedido do interzinho.