quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Nada muda na "terra da oportunidade"

Na minha opinião, a vitória de Obama é muito mais significativa pelo ponto-de-vista simbólico da chegada de um negro à Casa Branca do que por qualquer outra coisa.
É preciso lembrar que a "democracia" estadunidense é o maior regime de partido único do mundo ocidental. Republicanos e Democratas são como a falsa dicotomia que existia à época da Ditadura Militar brasileira com Arena e MDB - apenas com este último congregando algumas figuras de esquerda, que desejavam não desaparecer da vida política nacional, mas que autonomia mesmo não tinham.
Democratas e Republicanos são o mesmo lado de uma mesma moeda: o american way of life. Naquele país é onde se tem a prova viva de que um presidente não manda nada, que ele simplesmente segue uma agenda pré-estabelecida e funciona como bibelô de decisões que são tomadas não em porões, mas em amplos escritórios em algum andar bem alto dos enormes prédios de corporações - vide George W. Bush, um cidadão que constrange pela falta de inteligência e que foi guindado ao cargo mais alto dos Estados Unidos por 2 enormes fraudes eleitorais, que tiveram guarida nas vistas grossas dos Democratas no Congresso Nacional.
Se Obama realmente começar a fazer uso do sistema de Justiça estadunidense e passar a realizar reformas de base na economia socialmente injusta do Brasil lá de cima, está fadado a ser mais um na galeria das lideranças assassinadas na terra do Tio $am.
Essa gente não brinca em serviço.

3 comentários:

Guillermo disse...

"Republicanos e Democratas são como a falsa dicotomia que existia à época da Ditadura Militar brasileira..."

Não Guga, não é. Você foi bastante feliz ao falar em partido único e é isso que é. Pense Republicanos e Democratas como tendências dentro do mesmo partido. Somente discordam em pontos mínimos e que eles deveriam estar no poder ao invés do outro lado.

Grande parte dessa visão messiânica e salvadora de Obama se deve ao atual presidente. Se o moleque George Walker não estivesse fazendo tanta bobagem não haveria o desespero pelo outro lado. O uso da questão racial só foi feito por pessoas de fora mal intencionadas (adversários) ou mal informadas (público mundial).

Minha comparação ficaria com algo mais próximo do nosso coração: as eleições que tivemos mês passado no Grêmio. Tout la même chose.

Abraço e DÁ-LHE GRÊMIO!!!

gremiodecoracao disse...

achei digno ele ter ganhado x)


beijos

Regina Ramão disse...

Ai, ai, Guga... prefiro um negro democrata bibelô a um branco bélico e lunático republicano.

Vou confiar que as coisas melhorem, pois acho que pior do que está não fica.