sábado, 3 de julho de 2010

A Era Kaká(ca) quebra paradigmas: a cara do fracasso é branca e de família tradicional

Ninguém fala, porque ele é "o" queridinho da mídia.
Religioso, bom moço, casado virgem.
Deusolivre! O bastião da cultura TFP.
Acontece que no mundo real não é bem assim.
Kaká financia um esquemão de mercantilismo de fé, revelado pela prisão de dois dos membros da sua gangue, a Renascer em Cristo, tentando entrar nos states com milhares de dólares escondidos em buracos feitos em bíblias e outros mocós.
Foram presos, coitados. Até nem sei se ainda o estão.
Bem, mas isso não abalou a fé do moço, que, recentemente, ridiculamente, falou asneiras estúpidas para o filho de Juca Kfouri em entrevista coletiva, solicitando que Juca o respeitasse como Jesus Cristo (Sim! Ele disse exatamente isto!) assim como ele respeitava o jornalista como ateu.


Futebol, no entanto, que é bom, já que - meu deus! - estamos em COPA DO MUNDO, nada...
Kaká é o rosto bonitinho do fracasso.
Pintou forte na seleção a partir de 2001 e 2002.
Arrasava os coraçõezinhos de singelas adolescentes vestindo também a camiseta do São Paulo, embalando e endossando um monte de produtos transformados de uma hora para outra em essenciais - potencializados, então, os reai$ e os suspiro$ pela convocação à Copa pelas mãos de Felipão.
Em 2002, sim, venceu-se a Copa, Kaká estava lá, mas ainda não era a sua era - findavam, sim, os tempos de Ronaldo e Rivaldo.
A partir daí, então, entre campanhas - publicitárias ou não - para torná-lo o maior jogador de futebol do mundo, tornou-se o grande ícone do esporte em nível mundial.
No Brasil, jamais teve questionada firmemente a sua escalação em qualquer onze que se fosse organizar os titulares da seleção brasileira, culminando-se, então, com o cúmulo da convocação para a Copa de 2010: Dunga chamara um grupo de jogadores em que se tornava impossível substituí-lo.
Foi o legítimo "construir no entorno de".
A Era Kaká(ca) chegava, enfim, ao seu apogeu.
Sem sentido, pois - posso dizer. A Copa de 2006, já em pleno domínio de tal era, foi um rotundo fracasso, mas dizia-se que o jogador ainda não estaria 100%, culparam-se, então, "velhos" jogadores que precisavam dar a sua vez na seleção para a turma nova que já dominava pelos sermões do bom moço Kaká.
E Dunga, assim, revelou.
Montou 22 jogadores para combinarem diferentemente vários esquemas em torno de Kaká.
Um atacante, dois, três volantes, dois laterais direitos... E lá foi o Brasil com Kaká sempre em campo.
E lá foi o império renascido em Cristo para o fundo do abismo da desclassificação prematura em uma Copa do Mundo.
Fosse o Brasil um país como o México ou a própria algoz Holanda e isso não teria nenhuma importância. Mas nenhum outro país do mundo tem no futebol o talento que brotam das terras tupiniquins - nem mesmo a Alemanha.
O administrador de grupo Dunga errou feio: apostou no apogeu da Era Kaká(ca) e caiu abraçado com o mimoso ao fundo do abismo.
Mas Kaká rena$cerá para o mundo do futebol, não tenho dúvidas - até porque para isto não é necessário futebol propriamente dito, não é mesmo?
Até porque ninguém vai falar isso, em Era Kaká(ca).
Ninguém vai rotular estes fracassos com o nome dele em vão.
Ninguém quer sujar aquela carinha bonitinha...
Fosse ele um gaúcho brucutu, um nordestino ou negro seria crucificado - assim como foi o personagem preferido de Kaká: Jesus Cristo.

5 comentários:

Valéria Luzia disse...

acho que não podemos julgar o Kaká.
ninguém é perfeito, inclusive, ele.
Acho que não nos convém jugá-lo,
apesar de concordar com o autor do
post, ficar jugando não vai
adiantar de nada.

Anônimo disse...

ele não falo q respeitem ele como jesus cristo, eu assisti a entrevista nesse dia.

Guga Türck disse...

Falou, sim.
Procura na internet aí que tu vai achar.
Imagino que ele tenha errado a construção da frase - ou não? -, mas que ele falou isso, falou.

Anônimo disse...

´Pô tdo mundo fala mal dos crentes,mais naum vê oq eles fazem d bom,pensam q só pq eles são crentes eles naum podem errar..e o kaká merece ser respeitado sim,pois quem sabe da história sabe o quanto ele lutou contra o destino pra chegar onde chegou.Ele é um cara abençoado e SÓ quem compreende isso sabe o porq ele merece respeito...(Amanda)

Anônimo disse...

Pô acham q só pq ele é crente ele naum podi errar,e o q acontece é q mtos sabem olhar os defeitos dos outros e naum olham pro seus,só quem sabe da história dele sabe o quanto ele lutou contra o destino pra chegar onde chegou,ele merece respeito sim,eu concordo,pq vê oq ele fez d bom ae ninguem sabe,mais julgar tdo mundo sabe...Esses comentarios maldosos só almentam o ibope dele,e quem o conhece de verdade vai saber qem ele realmente,e ele merece ser respeitado pois quem acredita em deus sabi q ele fala:seja imagem e semelhança do senhor..ele naum é deus mais segue a ele..o cara é gente boa,intão antes de falar procure algo mais elaborado...