domingo, 23 de março de 2008

Caça-balela

Eduardo Antonini, um dos vice-presidentes do Grêmio, na tvcom, no domingo:
"A preferência é pelo Humaitá, pois é mais garantido. Não dá para jogar 3 ou 4 anos em outros estádios e não saber se vão acabar a obra na Azenha".

Ôpaôpaôpaôpaôpaôpaôpaôpaôpaôpaôpaaaaaa!!!
Amigo, não tem GARANTIA?!
E isso vale pra Azenha e Humaitá, porque se não acabam aqui, não acabam acolá...
Então, Antonini, só tem uma coisa a se fazer: não entrar nessa!!!
Onde já se viu fechar um projeto grande desses sem garantias de finalização???
Mais uma balelaconversapraboidormirconversafiadamanipulação...
Mas que força pra garantir a área do Humaitá, tchê!
Por que será o fetiche?
E vem mais balela por aí até quinta-feira, quando o conselho vai "escolher" o projeto a se seguir.
O Alma, aqui, vai tentar dissecá-las...

Sobre o tema, vale conferir o Apito do Blakão - clique no nome.

ps: as palavras de Antonini não foram exatamente aquelas, mas a idéia sim.

Um comentário:

Rodrigo Cardia disse...

Lembro que o principal argumento para se fazer a obra no Humaitá sempre foi esse - o perigo da não-finalização - e não outras questões como acesso (o que me faz preferir a Azenha).
O motivo da obsessão do Odone pela Arena? Ele quer ser candidato a governador em 2010, usando como argumento "construí um estádio novo para o Grêmio". Só pode ser isso.
E o pior de tudo é que muita gente vai acabar votando nele!

Abraços